Feira Gráfica ReTina e oficina jornalismo artesanal em zines

No final de semana dos dias 2 e 3 de junho de 2018 participamos da ReTina, feira gráfica de publicações em Santa Maria-RS. Foi nossa primeira participação em uma feira de publicações, um desafio interessante para nós, nativos digitais. Montamos a banca com as nossas publicações e a de outros parceiros, como a Chupa Manga Records e a Monstro dos Mares, e durante dois dias convivemos com artistas, escritores, performers, desenhistas, entre vários artistas de Santa Maria, Pelotas, Porto Alegre e também outros lugares do Brasil. Foi uma ótima troca de saberes; nos deu ganas para continuar com nosso selo e com a produção dos zines – o próximo estará pronto até o final desse mês de junho, se tudo correr bem.

 

Também participamos da feira com uma oficina, em dois dias, de Jornalismo Artesanal em Zines. Nela, fizemos um balanço da história dos zines, das vanguardas históricas ao punk, passando também por conceitos tão distintos quanto jornalismo hiperlocal, jornais impressos, interesse público, situacionistas, do it yourself e mídia alternativa. Também realizamos, com os 15 participantes, uma deriva pelas três quadras da região no entorno da oficina, um complexo com três prédios públicos importantes (Biblioteca Municipal, Arquivo Histórico e o Museu de Arte de Santa Maria – MASM, onde a oficina foi realizada) pouco conhecidos na cidade.

Acabamos, então, propondo a realização de um zine sobre essa região. No 2ºdia da oficina, quando de fato fomos pôr a mão na massa e fazer o zine, tivemos pouco tempo para finalizar e menos pessoas (4 ao total) envolvidas. O resultado é que ficamos apenas com o boneco feito – e a promessa de que os participantes restantes da cidade finalizariam o zine. Segue o texto de apresentação da proposta da oficina, aqui o arquivo do zine com os temas da oficina que fizemos para a própria) algumas fotos da oficina e da feira, e do boneco do “Locomotiva Cultural”, nossa publicação esboçada. As fotos são do Estúdio Maskara (quando assinaladas) e nossas (quando não).

Oficina Jornalismo Artesanal em Zines

Zines são uma forma de expressar qualquer ideia em forma de publicação. Com um longo histórico na contracultura do século XX, eles sobrevivem ao digital século XXI com a proposta de expor ideias e informações de um modo artesanal, com cada detalhe importando para que a sua fruição seja uma experiência única. Na contramão dos fluxos contínuos (e não alcançáveis por nossa cognição) de informação que jorra de todos os lugares digitais, a proposta da oficina é usar o zine como plataforma de um jornalismo lento, hiperlocal e livre: o que importa aqui é a criatividade ao expressar uma informação numa publicação, e não a escala industrial de produção de conteúdos que serão esquecidos logo depois de ler. Vamos fazer uma deriva pela região da oficina para, a partir do olhar curioso pela cidade, expressar no zine quais informações de interesse público da região podem ser transformadas em informações jornalísticas para um zine.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *