Propagandas antipirataria [2]

Seguimos aumentando nosso albúm de figurinhas, como anunciado aqui. Dessa vez, além de anúncios da coitada indústria cinematográfica, temos alguns da crescente indústria dos games. Ainda há uma propaganda bem chinela do governo da Maurícia [!] e por fim uma campanha para uma revista de música da Índia. Caso alguém tiver outras imagens pra trocar é só dar um toque que colocamos aqui.

Fontes:

[1, 2, 3]

[4, 5, 6,]

[7]

[8]

[Marcelo De Franceschi.]

  1. Então, o compartilhamento de arquivos é o verdadeiro culpado pelas mortes de Jimmy Hendrix, Michael Jackson e Jim Morrison? Pensei que tinha sido as drogas (tanto as legais quanto as ilegais).

  2. Vou ter que dizer. Os anúncios bem produzidos são bons. Brincam com os conceitos, filmes e jogos… mas não me convencem. Não me sinto uma “criminosa” por compartilhar arquivos. Diferentemente de uma campanha antiguinha da Adidas “Fake hurts real”… que me convence no primeiro cartaz.
    Suponho que as campanhas antipirataria que envolvem a cultura não geram o “resultado esperado” justamente por não tratar de algo que irá nos (consumidores) prejudicar, pelo contrário. A pirataria, nesses casos da indústria cultural, age, ao meu ver, como uma difusão de saber, conhecimento, etc… e não um “crime” (lembrei agora da inquisição, iremos todos para a fogueira digital?). Aliás, o termo “pirataria”, tratando-se desse compartilhamento de arquivos, parece já ter tomado ares pejorativos e, portanto, deixam de transmitir seriedade (os anúncios mostrados no post, principalmente os últimos, falam por si).

    Campanha da Adidas: http://numerof.com/blog/?p=377

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *