Notícias do Front Baixacultural (7)

ww2-45

.

Pirataria de Filmes (Carta Capital, 5/12)

Boa matéria da Carta Capital, que usa o exemplo do enorme sucesso do filme Batman, Cavaleiro das Trevas para dizer que a teoria de que quem baixa um filme não vai querer gastar dinheiro para ir ao cinema ver o mesmo título novamente não é tão óbvia assim como querem nos fazer crer.

.

Revista Veja publica conteúdo na internet (IDG Now, 12/12)

A tendência de liberar geral  é tão forte que até a Veja resolveu aderir e abrir todo o seu arquivo de revistas, que vem  desde 1968.  Aguarde que em breve (mesmo) faremos um post sobre essa e outras iniciativas de disponibilização gratuita de arquivos.

.

Agências de publicidade que se tornam editoras. Editoras que viram agências de publicidade. (Remixtures, 13/12)

De volta depois de um tempo sem atualização, o Remixtures traz um post sobre uma interessante discussão nestes tempos de caça a um modelo de sobrevivência para a música: se as operadoras de celular já estão promovendo artistas – as vezes tal qual como uma gravadora – porque não diretamente as agências de publicidade e comunicação também não promovem? Mais detalhes no post.

.

Leis de Copyright: Obama coloca batata quente em discussão (Blog do GJol, 14/12)

A notória Motion Pictures Association of America (MPAA) enviou uma carta à Obama pedindo que o governo adote medidas duras contra a pirataria de filmes – nada mais normal, em se tratando da MPAA.  A novidade é que Obama colocou a carta no seu site de transição, e é lá que tá se dando um interessante debate acerca do assunto.

.

A voz da Geração Y (Piauí, Dezembro)

A cubana Yoani Sanchez, filóloga e blogueira de 32 anos, foi a escolhida para ser uma das perfiladas na edição deste mês da revista Piauí. Yoani foi eleita este ano pela revista TIme como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo e recentemente ganhou o The Bobs, concurso mundial de blogs organizados pela alemã Deustche Welle. Escrito por Sandro Vaia, o perfil é ao melhor estilo bom jornalismo literário da revsita. Ah sim, o blog da cubana é esse aqui.

.

[Leonardo Foletto]

Crédito foto: World War II Photos

  1. “Agências de publicidade que se tornam editoras. Editoras que se tornam agências de publicidade”

    Isso aí assusta.

    Quantas pessoas compram livrões da Cosac & Naif pra decorar a mesinha de centro da sala? Não tá no gibi.

  2. Que comentário exagerado! Mas é isso. O problema não está na editora que se torna uma marca, nem nos personagens envolvidos na relação consumidor-produto. O problema é o quanto mais a indústria do consumo ainda pode nos roubar. É bom que exista um blog alerta sobre o tema 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *